Empresa alemã fabrica pranchas com materiais renováveis

Com o slogan "os surfistas que se importam", Kun_Tiqi Surfboards produz a prancha certa para pessoas que buscam reduzir o impacto que causam no planeta

por Redação ALMA SURF, 27/01/2011
Para que um produto seja considerado sustentável ou ecologicamente correto é preciso analisar toda a sua cadeia produtiva, desde a sua origem até a sua durabilidade e decomposição.

Tendo todas essas preocupações em pauta, a empresa alemã Kun_Tiqi começou a fabricar pranchas de surf ecológicas, chamadas de Eco Balsa Wood Surfboards.

A madeira balsa, usada na fabricação do equipamento, além de possuir ótima flexibilidade e estabilidade, é uma das madeiras mais leves que existem e é proveniente de uma das espécies de crescimento mais rápido, que chega a atingir até 10 metros de altura e 25 cm de diâmetro, em apenas quatro anos.

A madeira usada pela Kun_Tiqi vem de uma fazenda familiar, situada na região costeira do Equador. O chefe da fazenda e da família é Don Zandoval e as árvores plantadas por ele são cultivadas em um sistema de agrofloresta, que mistura o cultivo das árvores com cultivo de bananas, mandioca e feijão.

Todas as pranchas são produzidas artesanalmente por shapers com mais de 18 anos de experiência, por isso levam seis vezes mais tempo para ficarem prontas do que as convencionais. Além disso, 90% dos materiais importados, utilizados para a produção dessas pranchas de madeira são naturais e renováveis.

Depois de adquirir forma, a prancha é laminada com uma resina feita quase que inteiramente de linhaça e sem ingredientes tóxicos. As resinas convencionais, de poliéster, contêm substancias corrosivas que contaminam a água e a atmosfera, além de colocar em risco a saúde do shaper.

A eco resina que é mais elástica e mais flexível, proporciona uma maior adaptação ao contorno das ondas e minimiza a frequência de reparos.

Mesmo usando diversos itens ecologicamente corretos, a empresa ainda se lamenta pelo fato de não conseguir substituir a fibra de vidro usada para laminar a prancha. Mesmo que em pouca quantidade, a produção da fibra de vidro faz uso de energias fósseis. De qualquer maneira, a empresa está se esforçando para substituí-la por fibras naturais para evitar qualquer influência negativa ao meio ambiente.

A produção de blocos convencionais tem um efeito extremamente negativo sobre o meio ambiente, causado pelo uso de materiais como poliuretano ou poliestireno, que são produzidos a partir de combustíveis fósseis (óleo mineral), bem como pela emissão de substâncias cancerígenas durante o processo de produção.

Somado a isso, a produção requer uma grande dose de energia, que resulta na emissão de grande quantidade de dióxido de carbono e o produto final dificilmente é capaz de ser reciclado.

Com o slogan “os surfistas que se importam” a marca confirma que o seu produto é direcionado às pessoas que buscam reduzir o impacto que causam no planeta e estão preocupadas com o futuro da natureza.

Para obter mais informações, acesse Kun_Tiqi Surfboards.

SHARE:
  • almasurf
    Surfing, fim de uma era.
  • almasurf
    Tragédia da skatista Giselle
  • almasurf
    Pioneiros recebem homenagem
  • almasurf
    Revelação de Matinhos
  • almasurf
    Dia do Surfista
  • almasurf
    Italo Grom Stomp
  • almasurf
    De Passagem com Century Swell
  • almasurf
    Na casa do Bob
  • almasurf
    Altair Freitas, surf vetorial
  • almasurf
    BBQ Only Girls Nicaragua
  • almasurf
    White and Ruddy
  • almasurf
    O_Gosh Photography
  • almasurf
    Turkish adianta o lado
  • almasurf
    Documentário Peixe Morto
  • almasurf
    Filipe voa com Twin Fins